ORGULHO NERD É COMEMORADO EM CAXIAS

O Dia do Orgulho Nerd tem origem na Espanha, onde nasceu, em 2006,   “Dia del Orgullo Friki“. Pouco tempo depois, chegou aos Estados Unidos, ganhando a tradução GeekPride Day e logo, se espalhou pelo mundo. Embora não haja registro de quando começou a ser comemorado no Brasil, o movimento Nerd é responsável por muitos eventos no país. Este ano, o Museu Ciência e Vida, em Duque de Caxias, promoverá a Semana do Orgulho Nerd, de 21 a 24 de maio. Entre as atrações estão Oficinas Sabre de Luz, Varinha Mágica, a Maratona Sci-fi, além das palestras Empreendedorismo Criativo e Mercado de Games.

O Dia do Orgulho Nerd, comemorado em 25 de maio, também é conhecido como “Dia Da Toalha”. A data foi escolhida por conta da morte do escritor, Douglas Adams, autor do livro “O Guia do Mochileiro das Galáxias”. Em sua obra, o jovem viajante Arthur, com ajuda de seu amigo alienígena Ford Prefect, escapam do fim do mundo e só levam uma toalha que, segundo Ford, é uma das mais complexas ferramentas já inventadas desde o Big Bang. Os fãs decidiram que, no quadragésimo dia após a sua morte, lhe seriam feitas às homenagem. O número 42, surgiu da clássica pergunta feita pelos alienígenas ao super computador em busca da resposta  para a vida. Entretanto, os fãs perceberam que demoraria muiro e acabaram escolhendo o dia 25 de maio, avant première de Star Wars.

O termo “nerd” é utilizado para nomear pessoas com gostos específicos. Os Gamers, pessoas que entendem muito de jogos e fazem disso sua maior rede de entretenimento e/ou até profissão. Os Geeks, são aqueles que fazem parte do universo da tecnologia. Os RPGistas, participam de disputas de Role Playing Games.E os Fandom, são os grupos de fãs de uma certa obra, como por exemplo os fãs da saga Harry Potter, mais conhecidos como potterhead.

O UNIVERSO GEEK E A IMPRESSORA 3D

Participante da  iniciativa jovem shell

O estudante de engenharia mecânica,  Lucas Lima, de 24 anos, afirma que ser nerd e curioso, o levou a lugares que nunca pensou em chegar. Lucas começou fazendo  varinhas “mágicas” para Hogwarts Experience, acampamento temático Harry Potter que aconteceu no Rio de Janeiro e em São Paulo, em 2016. Após o fim da  febre dos eventos do bruxinho, Lucas começou a modelar bonecos, o primeiro foi o morcego Bartok da animação Anastásia. Em abril de 2018, durante o estágio no laboratório maker na UNISUAM, ficou impactado com a impressora 3D Makerbot. Criativo e curioso, sabendo que a impressora era muito cara, resolveu montar uma de baixo custo e fez sua primeira impressora com sucata eletrônica que custou somente R$680,10. “A impressão 3D virou um vício e um trabalho para mim. Atualmente, tenho ao todo três impressoras e construindo mais uma”, comemora. Participando do Shell Iniciativa Jovem, Lucas tem como meta fazer uma fábrica de impressoras 3D no complexo do alemão e com isso,  levar a tecnologia aos jovens da comunidade.

FANDOM POTTERHEAD

Juliana Ribeiro (foto direita) e Delania Bordone (foto a esquerda) se conheceram nas férias de verão de 2016, em um acampamento, no Rio de Janeiro, cujo tema era o bruxinho Harry Potter. Elas, que se consideram Potterhead, colecionam diversos itens da saga e  já visitaram os estúdios Warner, em Londres. Juliana, perdeu as contas de quantas vezes fantasiou entrar no salão comunal. Já Delania, que atualmente passa uma temporada nos EUA, pôde realizar passeios que todo fã de Harry, sonha. Em Orlando, ela esteve na Universal e pode curtir Islands of Adventure. De férias em  Londres, ela desfrutou do Hogwarts, quando visitou os estúdios Warner. “É clichê dizer que eu realizei o maior sonho da minha infância, mas não é aquele sonho que você realiza e te sacia, é um sonho que você realiza e quer realizar de novo e de novo. É uma das certezas que eu tenho na minha vida é que eu vou amar Harry Potter, é algo que   ajudou a formar meu caráter, me ensinou sobre valores, me ajudou a passar por situações ruins”, emociona-se Delania.

RPG e GAMERS

Mestre em RPG há dois anos, Matheus de Assis é o responsável por criar as histórias, as fichas dos personagens e fazer a narração durante o jogo. No RPG, é usado um dado de 20 lados que determina, por exemplo, o quão bom o personagem é em cada ação. O jogo é bem dinâmico “é um momento de construir algo coletivo, interagindo… passa a fazer parte da sua vida. Você passa a viver sua própria fantasia” afirma.  Algumas regras podem ser encontradas no livro D&D – Dungeons e dragons, como por exemplo, o que define o que um mago ganha quando sobe de nível? Isso se encontra no livro. Apaixonado, Matheus costuma jogar RPG com seu grupo, todo sábado.  

Anúncios

JOB DAS GALÁXIAS

A Marco Zero, agência-escola do curso de Publicidade e Propaganda da Unigranrio, lançou nesta terça-feira(14), o “Job das Galáxias”. O projeto visa selecionar 10 alunos dos cursos de publicidade e jornalismo, que tenham seus próprios negócios e estejam vendendo seus produtos ou serviços informalmente. O objetivo  é ajudar com toda parte de criação de identidade visual, mídia digital, impressa e peças publicitárias, melhorando toda a comunicação visual do negócio.           

Dihmas Novaes, estagiário de planejamento

 O estagiário de planejamento, Dhimas Novaes contou ao Ponto de Partida que a iniciativa é fruto de uma pesquisa que aponta que muitos alunos têm dificuldade em divulgar seus produtos ou serviços. O nome dado ao projeto, foi ideia do Dhimas, e  mostra que o desejo dos profissionais que irão realizar os trabalhos é de que quando as pessoas recebam esses jobs, achem de “outro mundo”, que não fosse comum, fosse além. “Identificamos que existe esse empreendedorismo dos nossos alunos e a partir dessa percepção nos resolvemos apoiar essa ação empreendedora dos alunos”  afirma o coordenador da Marco Zero, professor Marco Vinicius Alves Pinto. Para participar do processo de seleção, é necessário preencher um cadastro no endereço http://canal.unigranrio.com.br/marcozero/ , no período de 14 a 17 de maio. Podem participar empreendedores em acessórios, artesanato,  alimentos e colecionáveis. Os dez (10) primeiros alunos que cumprirem todos os requisitos serão selecionados e terão seus negócios trabalhados.  Entre os dias 20 e 24 de maio, os selecionados se reunião com o diretor de arte e o estagiário de planejamento para definir detalhes da produção. A ideia é tornar o projeto permanente e, a cada semestre,  aumentar o número de selecionados. Este projeto será o piloto e vai testar a demanda do fluxo de trabalhos para a equipe, ajudando para que depois possa ser abertos aos demais mais cursos. “O espaço da Marco Zero é um lugar não só para a experimentação profissional, como também um laboratórios para novas ideias. Ajudar os nossos alunos em seus empreendimentos pessoais, é uma ideia muito bacana. Acredito que logo, logo, o projeto será aberto ao publico em geral”, comemorou Ana Condeixa, coordenadora dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda.

Racismo não é coisa rara, não senhor!

Considerando que os principais veículos de comunicação do país ignoraram a data de 13 de maio e os poucos que falaram sobre, não trouxeram uma reflexão crítica, o Ponto de Partida decidiu trazer a abolição como tema de reflexão. Somado a isso, há poucos dias, o presidente afirmou, em entrevista a Luciana Gimenes, que racismo é coisa rara no Brasil. Os 131 anos da abolição da escravatura, comemorados ontem, 13 de maio, marca a data em que a Princesa Isabel, assinou a lei Áurea e libertou os escravos. A Lei, de uma linha só, tem o seguinte texto: “é declarada extinta desde a data desta lei a escravidão no Brasil”. Entretanto, os poetas mangueirenses, Hélio Turco, Jurandir e Alvinho, se perguntaram, em 1988, “Será que já raiou a liberdade/ Ou se foi tudo ilusão/Será, que a lei Áurea tão sonhada/Há tanto tempo assinada/Não foi o fim da escravidão”.

       A Assistente Social, Rosane Ferreira, em entrevista ao Ponto de Partida, afirma que o 13 de maio é mais um dia de luta, pois não há o que comemorar. “O dia 13 de maio não é de comemoração para os negros, porque depois de libertos eles foram jogados à própria sorte, sem acesso à educação, saneamento básico, a saúde e a direitos fundamentais que tornasse o negro um cidadão de fato”, nos conta. Na opinião da professora, não se pode negar os grandes avanços, como a lei de cotas em universidades e em concursos públicos, mas os impactos da escravidão ainda são muito visíveis. “Há muitas reparações a se fazer. No mercado de trabalho, por exemplo, são poucos os negros em posições de destaque dentro das empresas, fora todo racismo e violência que ainda sofremos”, defende.

      Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), das 100 das pessoas que são assassinadas no Brasil, 71 delas são negras. A taxa de homicídios de negros e negras, entre 2005 e 2015, aumentou 18,2%. Os dados só reforçam que a liberdade do povo preto é uma falácia. Nas 500 maiores empresas do Brasil, só 5,3% de vagas em cargos de liderança, são ocupados por pessoas negras. Se falarmos em remuneração, homens negros recebem 60% do salário de homens brancos e mulheres negras recebem 40% do salário de homens brancos. Em relação às taxas de desemprego, 6% são ocupadas por homens negros e 12% por mulheres negras.

            Ainda segundo a professora Rosane, os negros foram libertos, mas não houve sequer um planejamento. A figura doce da Princesa Isabel, pintada por parte da imprensa da época, se sobrepõe ao fato de que o Brasil foi o último país a por fim a escravidão. Grande nomes  marcaram o  processo pós-abolicionista no final do século XIX e fomentaram a ideia de cidadania para população negra, como por exemplo,  Ferreira de Menezes, escritor, advogado e fundador do jornal Gazeta da Tarde (RJ); Luiz Gama, advogado, jornalista e escritor; Machado de Assis, escritor; José do Patrocínio, farmacêutico e jornalista; Vicente de Souza, professor e médico; André Rebouças, engenheiro, não são tema das aulas no ensino fundamental.

A liberdade para o negro foi apenas um instrumento para que o escravo pudesse deixar as fazendas, mas não o livrou da miséria, das favelas. E por falta de planejamento e cuidado, o racismo está na estrutura da nossa sociedade. Não está só no xingamento, na violência, está na exclusão, no silenciamento, na forma como a sociedade vê e se relaciona com os negros. O racismo está no silêncio, quando não nos posicionamentos, quando não trabalhamos sensibilidade e respeito. Ubuntu! Viva Zumbi, Viva Ivone Lara, Clementina de Jesus, viva os milhões de negros.

Dia da Baixada Fluminense é comemorado em Caxias


      Hoje, dia 30, é comemorado o Dia da Baixada Fluminense. Para comemorar, a Prefeitura de Caxias, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, organizou diversas atividades na Praça do Pacificador, que começou às 9 horas e tem previsão de terminar às 18 horas. O evento, tem por objetivo divulgar os talentos, as empresas locais, além de mostrar os caxienses, a importância e a relevância do município. Isso, além agregar valor aos artistas, empresário e moradores do município, mostrando os pontos positivos e fomentando a cultura e educação local.

     Durante todo o dia de hoje, a Expo Social estará à disposição dos moradores. O evento é um grande encontro de parceiros, de diversos ramos do comércio. Que chegar encontrará vários serviços como: corte de cabelo, exame de vista, óculos com preço popular, aferição de pressão e glicose, plano de seguro de automóvel com preços abaixo do mercado, descontos em cursos profissionalizantes, caricaturas e etc.

Á noite, apresentações musicais, espetáculos teatrais e exibição de filmes de cineastas caxienses, encherão de energia o Teatro Raul Cortez. “Nós reconhecemos a importância da Cidade e tenho a certeza que a Baixada Fluminense é o braço forte do Estado e nós temos que ter orgulho por isso estamos hoje aqui comemorando o dia da Baixada Fluminense”, comemorou, Fábio Ramos, diretor de Eventos da cidade. 

A busca incessante pelo conhecimento e inclusão leva maiores de 60 anos às universidades

O número de pessoas acima dos 60 anos que passaram a frequentar as universidades, tanto públicas quanto privadas no Brasil, têm aumentado nos últimos anos. O último Censo de Educação Superior, feito em 2017, chegou a quase 27 mil alunos, sendo 18,9 mil entre 60 e 64 anos e 8 mil, ultrapassaram os 65 anos. O aumento do público provocou mudanças e, desde então, as universidades passaram a ter um cuidado maior, incluindo o auxílio no processo de aprendizagem. Continuar lendo “A busca incessante pelo conhecimento e inclusão leva maiores de 60 anos às universidades”

Dia do Consumidor: 5 direitos dos consumidores nas compras online

      Hoje, 15, é comemorado o Dia Mundial do Consumidor e a regulamentação do e-commerce no Brasil. Com isso, muitos varejistas estão se preparando para oferecer uma série de descontos e promoções neste período.
Aproveite e fique ligado nos cinco direitos para as compras feitas online: Continuar lendo “Dia do Consumidor: 5 direitos dos consumidores nas compras online”

Nervoso para o Enem? Veja dicas para se preparar para a prova

Mesmo estando distante, as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, marcadas para os dias 3 e 10 de novembro, já estão causando alvoroço nos que desejam ingressar em alguma universidade em 2020. Entre agendas, cursinhos, cronogramas e aplicativos, têm gente se esforçando bastante para poder alcançar a nota de corte desejada para o curso pretendido. Continuar lendo “Nervoso para o Enem? Veja dicas para se preparar para a prova”

Cultura àrabe ao alcance de todos

     Milhares de livros árabes estão disponíveis gratuitamente na internet. O projeto é uma iniciativa do grupo Arabic Collections Online, contou com a apoio da Universidade Nova York e tem por objetivo  facilitar as pesquisas sobre temas relacionados a cultura árabe. Continuar lendo “Cultura àrabe ao alcance de todos”