O Clube de Regatas do Flamengo foi fundado em 1895, inicialmente não contava com os recursos que possui no momento atual. E por sua vez, também não é considerado o clube que tem a melhor equipe de futebol do Brasil, se o critério de avaliação for número de títulos. Hoje em dia, o time lidera o Campeonato Brasileiro e se encontra na busca por mais um título na Libertadores da América. É perceptível ao longo das partidas que seu elenco tem qualidade dentro de campo. Mas a questão é: Por qual motivo o Flamengo permanece até hoje como uma das pautas principais dentro e fora das redações? São vários. E um deles será abordado nessa matéria.

De Mulher para Meninas

Futebol é sinônimo de sentimento, amor, o primeiro que sentimos logo no início, dentro do ventre de uma mulher. Pode-se dizer que o esporte é repassado de geração em geração e como dizem também, de pai para filho. Mas em diversas ocasiões, as mães que são as responsáveis pela paixão dos filhos pelo clube do coração. É cada vez mais comum observar um número significante de mulheres dentro dos estádios de futebol. O que antes era tido como um esporte de homem para homem, hoje é o que faz a diferença vida de diversas mulheres.

Consulado Meninas SRN – Unidas pelo Flamengo

O clube tem diversas torcidas organizadas que apoiam a nação dentro e fora do estádio. Uma delas é o Consulado Meninas SRN, o primeiro consulado exclusivamente feminino do Flamengo. Gabrielle Silva dos Santos, fundadora do consulado, conta a história do grupo.

Integrantes do Consulado e Gabrielle Silva ao lado direito de Rodolfo Landim
Presidente do Clube de Regatas do Flamengo
Foto: Reprodução/Internet

Meu nome é Gabrielle , tenho 18 anos, moro em Duque de Caxias e sou administradora do Consulado Meninas SRN. O nome surgiu de um cumprimento flamenguista “SRN” que significa “Saudações Rubro Negras”. Se iniciou em Saquarema, através de um grupo num aplicativo de mensagens, que foi criado em dezembro do ano passado, mas só passou a se tornar consulado em abril deste ano, após uma reunião na Gávea com o Maurício Gomes de Mattos, vice-presidente de Embaixadas e Consulados do Flamengo, que se apaixonou pelo nosso projeto. Atualmente somos em torno de 200 participantes. Nosso objetivo é, além de apoiar nosso time, atrair cada vez mais mulheres para o estádio e para o meio futebolístico, onde infelizmente a grande maioria ainda é um público masculino. Acredito que um consulado exclusivamente feminino faz com que muitas mulheres se sintam representadas, se sintam mais à vontade para apoiar seu time. Temos a missão de atrair novos sócio-torcedores e de fazer ações sociais levando o nome do clube. Ajudando assim o crescimento do projeto de Embaixadas e Consulados do Clube de Regatas do Flamengo.

Meninas SRN na doação brinquedos para o Espaço Lar Luz e Amor
Foto: Reproduçao/Instagram

“Dificilmente uma mulher irá dizer que nunca sofreu preconceito nesse meio. Ainda existem homens que acham que sabemos menos de futebol pelo simples fato de sermos mulheres, e fazem piadinhas de mau gosto, fazem perguntas como “teste”, entre outras coisas. ” Complementou Gabrielle.

Foto:Reprodução/Internet

“Um dos nossos objetivos, é tentar mudar esse pensamento machista e mostrar que, somos tão torcedoras quanto eles.Procuramos sempre fazer debates no nosso grupo, para que as meninas contem suas experiências em relação a isso, e possamos saber melhor como agir diante desse preconceito. E, para as que desejam uma companhia para os jogos, amigas que tenham essa mesma paixão em comum, e querem ter alguém para conversar sobre futebol, fazer ações sociais e acima de tudo, contribuir para o nosso time do coração, digo que são MUITO bem-vindas! Ao primeiro e único consulado exclusivamente feminino do Flamengo! Saudações rubro-negras. ” Concluiu a Administradora do Consulado.

Foto: Reprodução/Internet

O Flamengo cativou o fanatismo de ambos os gêneros. Mas, o som de milhares de vozes femininas dentro e fora do estádio, fazem a diferença.

Texto produzido por Letícia Mello, aluna do 7° período de jornalismo, com supervisão de Leandro Lacerda.