“Faltou conteúdo”, “faltou detalhes”,  é uma das críticas mais comuns quando o assunto é a adaptação de um livro para as telonas.  O público costuma almejar que o seu livro favorito se torne série ou filme, mais no entanto quando isso acontece, nem sempre agrada os fãs dos livros que, sentem  a falta de apreço aos detalhes da história  em audiovisual. 

É muito comum que os best-seller sejam adaptados para o cinema, alguns que já foram atingidos por comentários parecidos são: Bird Box, Percy Jackson, Harry Potter, After, Um dia, 50 tons de cinza entre outros. Tem algumas adaptações realmente muito boas, como the handmaids tale. Mas tem outras que são tão terríveis que da tristeza, como é no caso do Percy Jackson. Os livros são incríveis mas os filmes são muito distantes da literatura, tem erro no elenco, no roteiro, de tudo!, afirma Ana Carolina Costa, estudante de Arquitetura e Urbanismo. 

Foto: Reprodução/WarnerBros – Harry Potter

Um dos erros que deixam os fãs furiosos, é fugir das características do personagem. De acordo com os livros de JK Rowling, o personagem Harry Potter tinha olhos verdes como o de sua mãe, e o cabelo selvagem assim como o do pai, e no filme foi representado por Daniel Radcliffe, que tem olhos azuis e o cabelo não era tão bagunçado. Del Bordone, de 26 anos, ama quando os livros se tornam filmes e acredita que o maior problema é quando mudam a personalidade do personagem.“Em Harry Potter é o Cálice de fogo isso acontece com os personagens Fleur e Krum. Ela fica parecendo uma menininha assustada e fútil e ele um boboca que só tem músculos e é bonito.Mas têm muito mais que incomoda nas adaptações livro-filme…” afirma a jovem. 

Em After, o personagem Hardin é descrito no livro como um jovem muito intenso, que não controla suas emoções e acaba passando para Tessa de uma forma errada, já no filme, o jovem é intenso porém muito romântico, o que descaracterizou o personagem descrito no livro.

Poster do filme “After”

Quando o autor acompanha de perto as gravações, há maiores chances da adaptação ser o mais fiel possível. A escritora Luiza Trigo, que também é cineasta, participou do roteiro do filme “Meus quinze anos”, inspirado em sua obra literária. A adaptação estreou em Outubro de 2017 e agradou aos fãs que criticaram poucas falhas da transição livro/filme.  

Foto: Reprodução/Debuteen

Texto produzido por Beatriz Nobrega, aluna do 6º período de Jornalismo, supervisionado por Leandro Lacerda.

Anúncios