O Dia do Orgulho Nerd tem origem na Espanha, onde nasceu, em 2006,   “Dia del Orgullo Friki“. Pouco tempo depois, chegou aos Estados Unidos, ganhando a tradução GeekPride Day e logo, se espalhou pelo mundo. Embora não haja registro de quando começou a ser comemorado no Brasil, o movimento Nerd é responsável por muitos eventos no país. Este ano, o Museu Ciência e Vida, em Duque de Caxias, promoverá a Semana do Orgulho Nerd, de 21 a 24 de maio. Entre as atrações estão Oficinas Sabre de Luz, Varinha Mágica, a Maratona Sci-fi, além das palestras Empreendedorismo Criativo e Mercado de Games.

O Dia do Orgulho Nerd, comemorado em 25 de maio, também é conhecido como “Dia Da Toalha”. A data foi escolhida por conta da morte do escritor, Douglas Adams, autor do livro “O Guia do Mochileiro das Galáxias”. Em sua obra, o jovem viajante Arthur, com ajuda de seu amigo alienígena Ford Prefect, escapam do fim do mundo e só levam uma toalha que, segundo Ford, é uma das mais complexas ferramentas já inventadas desde o Big Bang. Os fãs decidiram que, no quadragésimo dia após a sua morte, lhe seriam feitas às homenagem. O número 42, surgiu da clássica pergunta feita pelos alienígenas ao super computador em busca da resposta  para a vida. Entretanto, os fãs perceberam que demoraria muiro e acabaram escolhendo o dia 25 de maio, avant première de Star Wars.

O termo “nerd” é utilizado para nomear pessoas com gostos específicos. Os Gamers, pessoas que entendem muito de jogos e fazem disso sua maior rede de entretenimento e/ou até profissão. Os Geeks, são aqueles que fazem parte do universo da tecnologia. Os RPGistas, participam de disputas de Role Playing Games.E os Fandom, são os grupos de fãs de uma certa obra, como por exemplo os fãs da saga Harry Potter, mais conhecidos como potterhead.

O UNIVERSO GEEK E A IMPRESSORA 3D

Participante da  iniciativa jovem shell

O estudante de engenharia mecânica,  Lucas Lima, de 24 anos, afirma que ser nerd e curioso, o levou a lugares que nunca pensou em chegar. Lucas começou fazendo  varinhas “mágicas” para Hogwarts Experience, acampamento temático Harry Potter que aconteceu no Rio de Janeiro e em São Paulo, em 2016. Após o fim da  febre dos eventos do bruxinho, Lucas começou a modelar bonecos, o primeiro foi o morcego Bartok da animação Anastásia. Em abril de 2018, durante o estágio no laboratório maker na UNISUAM, ficou impactado com a impressora 3D Makerbot. Criativo e curioso, sabendo que a impressora era muito cara, resolveu montar uma de baixo custo e fez sua primeira impressora com sucata eletrônica que custou somente R$680,10. “A impressão 3D virou um vício e um trabalho para mim. Atualmente, tenho ao todo três impressoras e construindo mais uma”, comemora. Participando do Shell Iniciativa Jovem, Lucas tem como meta fazer uma fábrica de impressoras 3D no complexo do alemão e com isso,  levar a tecnologia aos jovens da comunidade.

FANDOM POTTERHEAD

Juliana Ribeiro (foto direita) e Delania Bordone (foto a esquerda) se conheceram nas férias de verão de 2016, em um acampamento, no Rio de Janeiro, cujo tema era o bruxinho Harry Potter. Elas, que se consideram Potterhead, colecionam diversos itens da saga e  já visitaram os estúdios Warner, em Londres. Juliana, perdeu as contas de quantas vezes fantasiou entrar no salão comunal. Já Delania, que atualmente passa uma temporada nos EUA, pôde realizar passeios que todo fã de Harry, sonha. Em Orlando, ela esteve na Universal e pode curtir Islands of Adventure. De férias em  Londres, ela desfrutou do Hogwarts, quando visitou os estúdios Warner. “É clichê dizer que eu realizei o maior sonho da minha infância, mas não é aquele sonho que você realiza e te sacia, é um sonho que você realiza e quer realizar de novo e de novo. É uma das certezas que eu tenho na minha vida é que eu vou amar Harry Potter, é algo que   ajudou a formar meu caráter, me ensinou sobre valores, me ajudou a passar por situações ruins”, emociona-se Delania.

RPG e GAMERS

Mestre em RPG há dois anos, Matheus de Assis é o responsável por criar as histórias, as fichas dos personagens e fazer a narração durante o jogo. No RPG, é usado um dado de 20 lados que determina, por exemplo, o quão bom o personagem é em cada ação. O jogo é bem dinâmico “é um momento de construir algo coletivo, interagindo… passa a fazer parte da sua vida. Você passa a viver sua própria fantasia” afirma.  Algumas regras podem ser encontradas no livro D&D – Dungeons e dragons, como por exemplo, o que define o que um mago ganha quando sobe de nível? Isso se encontra no livro. Apaixonado, Matheus costuma jogar RPG com seu grupo, todo sábado.